Noticias

Ipatinguense é multado em R$ 800 mil por comércio de xaxim

Uma operação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) desmontou, em Ipatinga na manhã desta quarta-feira (12), um esquema que comercializava produtos de uma planta protegida da Mata Atlântica, o que é considerado crime ambiental. Foram apreendidas sete toneladas de xaxim, que serve para a confecção de vasos para outras plantas ornamentais. A planta no meio silvestre tem o nome científico Dicksonia sellowiana Hook. Conhecida como samambaia-açu, ela é nativa da Mata Atlântica e sempre foi destinada à jardinagem e floricultura. A exploração descontrolada do recurso natural colocou a samambaia-açu na lista das plantas em risco de extinção. Desde 2002, permite-se apenas a comercialização dos vasos confeccionados em fibra de coco, que substituiu o xaxim original.

O depósito do material clandestino foi localizado na rua F, bairro Jardim Santa Clara, na região do bairro Vila Celeste, em Ipatinga, e estava fechado. O proprietário não compareceu para abrir os portões. Os policiais de Meio Ambiente e fiscais da Semad solicitaram o apoio de um chaveiro para abrir o galpão. Foram descobertos vários sacos com restos de xaxim, além de vasos e placas já prontos para serem comercializados, conforme acompanhou a reportagem do Diário do Aço.

O proprietário do prédio e do material apreendido foi identificado como Ubirajara Carlos de Souza, de 57 anos. Ele será notificado pela Semad e passa a responder pelo crime ambiental junto à justiça. A pedido da Semad, prefeitura de Ipatinga cedeu um caminhão para a retirada do material apreendido.

Desde 2002, permite-se apenas a comercialização dos vasos confeccionados em fibra de coco, que substituiu o xaxim original

No total foram sete viagens de um caminhão basculante para transportar o material apreendido, totalizando sete toneladas de xaxim, que foram levadas para o viveiro municipal, no bairro Jardim Panorama. A Polícia Militar de Meio Ambiente deu apoio à ação da Semad. A multa aplicada pela fiscalização chegou a R$ 800 mil. No local também, foi encontrado um poço artesiano sem cadastramento e também gerou uma notificação.

Extinção
O fiscal da Semad, Robson Ferreira Bastos explicou em entrevista ao Diário do Aço que o xaxim tem venda proibida desde de 2002. E uma denúncia foi feita no município de Jequitinhonha, onde foram apreendidos vasos feitos com a planta. A investigação levou ao distribuidor dos produtos ilegais em Ipatinga. “O proprietário, Ubirajara, nos relatou que esses produtos vêm do Paraná, mas é desconhecido o local exato de onde saem. Precisamos considerar que é uma espécie da Mata Atlântica e temos um volume grande desse tipo de mata no nosso estado. Não descartamos que essa exploração ilegal ocorra dentro do estado de Minas Gerais Mesmo”, enfatizou.

Robson acrescentou que a espécie florestal é considerada em estado de risco de extinção há 15 anos, conforme estabelece a Resolução 279 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama)

×

Compartilhar artigo por e-mail

Postar um comentário